terça-feira , 19 setembro 2017
Home / Destaque / Silval compra rádios em São Paulo e no interior de MT com dinheiro de propina

Silval compra rádios em São Paulo e no interior de MT com dinheiro de propina

Postado em: 09/09/2017

Segundo ex-governador, “retorno” de empreiteiras e da Consignum garantiram investimentos

 

O ex-governador Silval Barbosa (PMDB) se tornou sócio da concessão de uma rádio em São José do Rio Preto (SP) com propinas adquiridas pelo ex-secretário-adjunto de Infraestrutura (Sinfra-MT), Valdisio Viriato, em 2011. O negócio foi fechado por R$ 1,8 milhão e proposto por um empresário de Campo Grande (MS), que tinha conseguido concessões de rádio numa licitação do Ministério das Comunicações.

A informação foi dada pelo próprio ex-governador em seu acordo de colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR) e homologado pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, no dia 9 de agosto de 2017.

O depoimento de colaboração narra o encontro do empresário de Campo Grande com o ex-governador em 2011. “O colaborador se recorda que por volta do no ano de 2011, foi procurado por uma pessoa conhecido por “Armando”, da cidade de Campo Grande, que procurou o colaborador perguntado se ele tinha interesse em ser sócio de algumas concessões de rádios e televisão que ele havia conseguido através de Licitação no Ministério da Comunicação, sendo que concordou em adquirir metade de uma concessão de uma rádio em São José do Rio Preto”, diz trecho da colaboração premiada.

Em seguida, Silval Barbosa detalha que o negócio – fechado em R$ 1,8 milhão -, foi pago em 2013 com recursos de propinas conseguidas por Valdisio Viriato por meio de pagamentos de uma empresa que pertence a Pierre François Amaral. O ex-governador não soube informar em detalhes a forma como a propina era repassada, dizendo que o ex-adjunto da Sinfra-MT poderia passar mais informações.

“O colaborador pagou em torno de R$ 1.800.000,00 para adquirir 50% dos direitos dessa rádio, sendo que o pagamento o colaborador acredita que ocorreu no ano de 2013. O colaborador pagou tal montante com valores oriundos de propinas da Sinfra, através das propinas recebidas pelo Secretário Adjunto da Sinfra Valdisio Viriato, sabendo o colaborador que o pagamento foi feito através de uma empresa pertencente ao Sr.Pierre Francois Amaral, sendo que Valdisio poderá detalhar tal operação”, disse Silval.

O ex-governador disse ainda que o empresário de Campo Grande “não tinha conhecimento” da origem ilegal dos recursos. O depoimento ainda narra que Silval, no ano de 1992, adquiriu concessões de televisão no interior de Mato Grosso, porém, se afastou dos negócios quando entrou para a política. As empresas de comunicação hoje são administradas pelo filho do ex-chefe do executivo, Rodrigo Barbosa.

CONSIGNUM

Na delação, Silval Barbosa contou ainda que adquiriu quatro concessões de rádio com dinheiro da propina da empresa Consignum. As empresas de comunicação pertenciam ao ex-deputado José Riva.

Segundo o ex-governador, a concessão das rádios custou R$ 1 milhão e foi paga em 10 parcelas de RF 100 mil. “Que o contrato foi firmado em nome do irmão do declarante, Antonio da Cunha Barbosa; que para o pagamento o declarante utilizou parte do “retorno” da empresa Consignum e parte do dinheiro que tinha aplicado com Jurandir (Solução Cosméticos)”, completou.

Comente o que você achou da postagem

Veja Também

Com apoio da sociedade, Policiais Militares de Barra do Bugres recuperam dois carros furtados

Postado em: 18/09/2017 Muitos veículos, sejam furtados ou roubados, dos mais diversos municípios, já foram ...

Justiça suspende leilão da fazenda do Grupo JPupin

Postado em: 18/09/2017 A medida veio como antecipação de tutela dos efeitos do deferimento da ...